Scooter elétrica sem CNH: agilidade e facilidade nas tarefas do dia a dia

--*--

O desejo de ter o veículo induz as pessoas a tirar a Carteira Nacional de Habilitação. Essa carteira permite que uma pessoa conduza o carro, uma moto, um caminhão, um ônibus e etc. O problema é que há vários processos que devem ser cumpridos antes de ter licença para conduzir um veículo.

Dessa forma, uma pessoa precisa fazer exame psicológico, toxicológico, aulas práticas de direção e uma prova teórica sobre leis de trânsito e como conduzir de forma segura um veículo. Muitas pessoas cometem fraudes nestes exames para conseguir acesso a CNH. Há outras que simplesmente conduzem um veículo sem ter licença para tal.

Entretanto alguns veículos elétricos não exigem que o condutor tenha uma habilitação para pilotá-los.  Este é o caso da Scooter elétrica. Mas não se engane. Não são todos os modelos que essa regra é aplicada.

É o caso de alguns modelos da Muuv. Algumas possuem dois acentos, e se enquadram como ciclomotor. Por ser ciclomotor, não é possível circular em ciclovias e, obrigatoriamente, precisa de emplacamento. Dessa forma o condutor precisa de licença para circular com esse veículo.

Veículos que não precisam de emplacamento e são enquadrados como transportes individuais são os patinetes, os skates, as scooters e hoverboards elétricos de pequeno porte.  Um exemplo de escuta o que pode ser conduzida por pessoas que não possui CNH é a Jr 1000w.

A Scooter elétrica oferece diversos benefícios para o meio ambiente. Isso porque dispensa o uso de combustíveis por possuir uma bateria recarregável, diminuindo a emissão de gases na atmosfera. Através da bateria recarregável é possível percorrer até 40 km com uma única carga. Ou seja, esse veículo é 12 vezes mais econômico e menos poluente que uma moto. Além disso, o gasto de energia chega a 50% em relação a um carro.