Ultrapasse a rota de navegação mais lendária da Terra

Durante séculos o grande sonho marítimo foi encontrar uma passagem aberta através do Ártico, criando uma rota comercial entre a Europa e a Ásia que reduzisse o tempo de navegação.

Procurava-se um trajeto entre o labirinto de ilhas e estreitos congelados no topo do Canadá, a chamada passagem Noroeste. A busca começou no fim do século XV e se intensificou nos séculos XVIII e XIX.

James Cook procurou-a em vão em 1776, navegando com homens como George Vancouver e William Bligh. Ao longo da primeira metade do século XIX várias expedições foram avançando aos poucos no gelo, com destaque para o fabuloso fracasso da expedição Franklin.

Os relatos de ineficiência e de possível canibalismo fizeram dela uma das aventuras mais famosas da história, comparável à de Robert Scott na Antártica.

Em 1903, o norueguês Roald Amundsen, que mais tarde se tornou o primeiro homem a atingir o polo sul, entrou na Passagem Noroeste. Com navio e tripulação menores, passou dois invernos na ilha do rei William e, em 1906, conseguiu completar a travessia.

Mas as dificuldades eram tamanhas que a esperança de que ela pudesse vir a ser uma rota comercialmente viável já fora perdida, e naquele momento já estava depositada no canal do Panamá, cuja construção começou quando Amundsen estava no gelo.

Recentemente, a passagem Noroeste voltou a ganhar espaço no mundo do transporte marítimo.

O degelo polar abriu as águas árticas, e a Agência Espacial Europeia observou que, em 2007, ela ficou completamente sem gelo e, pela primeira vez desde o início dos registros, em 1978, esteve inteiramente navegável. No ano seguinte o primeiro navio comercial a atravessou.